Ao levar meu filho para jogar bola em uma quadra de areia, ao lado da escola em que estudei durante boa parte da minha infância, deixei que viessem a minha lembrança os bons momentos que vivi naquele lugar.

Hoje vazio e praticamente inabitado, não possui mais as crianças que passavam lá suas tarde durante os finais de semana.

Nós corríamos até escurecer atrás da bola naquela quadra de areia, naquele tempo, aguardávamos ansiosos a formação dos times de futebol, que na maioria das vezes passava de 3 ou 4 times.

E aguardavam a beira da quadra de areia a sua vez de jogar,  com chuva ou sol, fosse dia ou fosse noite, lá estávamos.

A saudade persistiu na ideia de que se tivéssemos naquela época aparelhos celulares com câmera fotográfica, teríamos muito mais registros para reviver.

Quando chegávamos logo no início da tarde, após a o almoço de sábado ou domingo, aquele lugar se enchia de vida.

Eram os amigos, e até os amigos dos amigos esperando a hora de iniciar as partidas, na maioria das vezes quando chegávamos, não éramos os primeiros, pois a sombra da árvore que estampa a foto deste artigo abrigava um conhecido nosso capoeirista, ele sempre estava lá com seu rádio toca fitas ao pé daquela árvore e se colocava a treinar seus movimentos de capoeira, o que mais lembramos é do famoso “Mortal”.

Como é bom reviver…

Aprecie uma canção que marcou esta época: